RSS

NBA ► Quando os deuses erram: Kobe e LeBron falham, Lakers e Cavs perdem

24 abr

O ginásio onde Los Angeles Lakers e Oklahoma City Thundercats jogaram mais parecia palco de uma decisiva partida do basquete universitário norte-americano do que da mais sisuda NBA.

Para quem não se liga muito mo esporte da bola laranja, a NBA tem suas arenas quase sempre cheias, mas as torcidas efetivamente torcem com fervor apenas nos playoffs, com algumas delas se transformando em verdadeiros alçapões para os adversários, tal a pressão exercida, como a do Sacramento Kings.

Já no basquete universitário, o ambiente é normalmente ensandecido, principalmente nas partidas decisivas, um ambiente muito mais próximo à nossa realidade de Maracanã lotado em dia de Fla x Flu.

Pois a quadra do Thunder estava ensurdecedora, para ficar num clichê desta vez não apenas “clicherizado”: medições mostravam o som provocado pelos torcedores acima dos 100 decibéis. E tudo aliado a uma espécie de ribombar impressionante de trovões – afinal, o time chama-se Thunder, né? Somando-se a isso a torcida inteira (quase inteira: há sempre amarelinhos do Lakers em todas as quadras da NBA) vestindo uma camiseta azul previamente espalhada pelos assentos dizendo algo que pode ser entendido como “crescendo juntos” e a cara de meninos dos Thundercats e o mais desavisado telespectador juraria estar vendo uma final da NCCA. Aí na foto ao lado a vibração dos torcedores locais  com primeira vitória.

E foi nessa atmosfera que o Thundercats deu mais um calor no campeão Los Angeles Lakers, desta vez conseguindo fechar a partida a seu favor com uma surpreendente mãozinha do superastro Kobe Bryant, que errou quase tudo que tentou no quarto final, período em que justamente costuma crescer e decidir o jogo a favor de sua equipe.

O Lakers já havia dado uma apagada no início do segundo quarto, quando jogou fora uma importante vantagem de quase 10 pontos ao ficar vários minutos sem pontuar. No final, justa vitória dos calouros de playoffs, deixando a série ainda bem aberta. É difícil, o Lakers sabe se virar bem nessas situações adversas, mas o Thundercats está vivo e tem talento para provocar uma grande zebra aqui.

Se Kobe falhou no jogo do Lakers, o MVP da temporada LeBron James não ficou atrás. “Mas como assim? LeBron quase anotou um triplo duplo: 39 pontos, 10 rebotes e 8 assistências!” É verdade, mas desperdiçou nada menos que 6 lances livres em 13 cobrados, um índice mais ao nível de Shaquille O’Neal que de um LeBron James. Shaq, aliás, que acertou seus dois únicos lances livres na partida (notem a concentração do gigante na foto).

Mas, enfim, desperdiçar seis lances livres perto de ótimos números anotados não seria nada demais, não tivesse o Cleveland Cavaliers perdido por míseros dois pontos de diferença. Foi uma incrível demonstração de superação do Chicago Bulls, que assim conseguiu manter seu mando de quadra. Mas ainda não acredito que o Bulls seja capaz de roubar uma vitória em Cleveland e nem mesmo acredito que seja capaz de repetir esse último resultado no jogo 4, também em Chicago.

Na mesma quinta-feira em que Lakers e Cavs caíram, o Portland Trail Blazers esqueceu de voltar a jogar após “descansar” no jogo 2 da série contra o Phoenix Suns, levou uma verdadeira surra em casa e jogou por terra a importante vitória que havia conseguido em quadra inimiga na abertura da série. Jason Richards acertou quase tudo (42 pontos e nenhum turnover!), o Suns abriu nada menos que 29 pontos de vantagem ainda no primeiro tempo e assim acabou a festa de uma das torcidas mais ameaçadoras (no bom sentido) da liga. Aqui, acho que já era para o Blazers.


Na sexta, mais três partidas. Primeiro, em um duelo extremamente acirrado, Paul Pierce acertou um arremesso no zerar do cronômetro, deu a vitória ao Boston Celtics e acabou com o Miami Heat. Nunca, jamais, em tempo algum na história da NBA alguma equipe conseguiu virar um placar de 0 x 3 numa série de playoffs. Não vai ser agora.


Depois, na primeira partida em casa, o San Antonio Spurs mostrou ao Dallas Mavericks que não está para brincadeira, vencendo mais uma partida disputadíssima e fazendo 2 x 1 na série. São duas equipes muito fortes e competitivas e aqui pode-se realmente dizer que tudo pode acontecer. E ambas muito bem comandadas por seus astros, Dirk Nowitzki e Tim Duncan, duelando na foto anterior.


“Houston, temos um problema.” É o que poderia dizer o pessoal do Nuggets – se não fossem de Denver, nas montanhas do Colorado. Após um ótimo primeiro quarto, a equipe no brasileiro Nenê (aliás, com pífia atuação, bem abaixo do que vem mostrando) foi completamente dominada pelo Utah Jazz. A foto até parece mostrar o baixinho e talentoso armador do Jazz saltando mais que Nenê!

O time de Deron Williams e Carlos Boozer deixou claro que custará muito caro ao Nuggets conseguir recuperar em Salt Lake City a derrota que sofreu no jogo 2 em casa.

E assim seguem os playoffs da NBA, diversão e emoção garantidas para os fãs de basquete – como eu.

Resultados (mando de quadra sempre do segundo time e entre parênteses o placar da série):

Cleveland Cavaliers 106 x 108
 Chicago Bulls (2 x 1)
Los Angeles Lakers 96 x 101
 Oklahoma City Thundercats (2 x 1)
Phoenix Suns 108 x 89
 Portland Trail Blazers (2 x 1)
Boston Celtics 100 x 98 
Miami Heat (3 x 0)
Dallas Mavericks 90 x 94 San Antonio Spurs (1 x 2)
Denver Nuggets  93 x 105 Utah Jazz
  (1 x 2)

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de abril de 2010 em NBA

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: