RSS

NBA ► Um dezembro nada brilhante do Los Angeles Lakers

03 jan

Dezembro é mês do natal, as casas são enfeitadas, luzes por toda parte, especialmente em uma cidade como Los Angeles, que parece brilhar dia e noite. Mas nos últimos 30 dias de 2010 qualquer tipo de brilho passou longe do desempenho do Los Angeles Lakers, que anotou um discretíssimo recorde de nove vitórias e cinco derrotas nesse período.

Depois de um início de temporada bom, amealhando (amealhando pode?) oito vitórias consecutivas, duas derrotas aceitáveis e mais triunfos na sequência, o Lakers deu uma bela engasgada. Terminou o mês de novembro com três derrotas e abriu dezembro com novo fracasso, atingindo uma nada honrosa marca que há temporadas não acontecia, uma quadra de derrotas.

Mesmo vencendo seis de sete partidas seguidas na estrada (bem, uma foi contra o Clippers, em Los Angeles mesmo, mas “fora de casa”), o Lakers não empolgou ninguém e nem uma dessas vitórias foi lá muito relevante. Quando pegou um time mais forte, o Chicago Bulls, perdeu.

Tanto que, na volta a Los Angeles (cansado, tudo bem), levou uma desconcertante surra do Milwaukee Bucks, seguida de uma desalentadora derrota para o Miami Heat e outro inapelável fracasso contra o San Antonio Spurs.

A equipe californiana segue sofrendo contra os times de melhor de campanha da NBA. Em algum ponto parece ter perdido “liga”, interesse ou seja lá o que for. A apatia com que joga tem sido irritante, talvez até para os mais fervorosos torcedores anti-Lakers.

Pau Gasol cansou e caiu, Kobe Bryant se irritou e passou a errar, Lamar Odom fez o seu e não mais que isso, Derek Fisher talvez tenha começado a se poupar para os playoffs e Ron Artest… Bem, Artest parecia em dezembro mais preocupado com o leilão de seu anel de campeão – que ele jura ser apenas o primeiro – do que com jogos que ele chamou de desinteressantes.

O detalhe é que, invariavelmente, as derrotas aumentam à medida que o time não atinge a contagem centenária. Ou seja: brecar o ataque do Lakers é meio caminho andado para superar os atuais campeões.

Mas nem tudo é desalento, apesar da apatia com o que o time aceitou algumas derrotas, fazendo Kobe Bryant fechar a cara para a falta de atitudes do time. A volta de Andrew Bynum, aparentemente saudável (sabe-se lá até quando… toc-toc-toc) e melhorando jogo a jogo pode fazer o grupo focar-se de novo e engrenar de vez. Porque, por enquanto, o Lakers engasga como carro velho com carburador sujo, mesmo sendo modelo top de linha. Fosse futebol e talvez a culpa recaísse sobre o motorista…

Enfim, para quem acompanha os amarelinhos, no momento com as pilhas meio fraquinhas, aí vão os highlights jogo a jogo do mês de dezembro, cortesia YouTube.

*** *** ***

Lakers 99 x 109 Rockets

Lamar Odom fez um bom jogo (25pts, 11reb), Matt Barnes também (14pts, 8reb) e Kobe anotou lá os seus 27 pontos, mas ninguém viu Gasol Fisher ou Artest em quadra e o azarado Rockets (sem Yao Ming o resto da temporada, de novo) fez a festa em Houston com um ótimo último quarto. Foi a quarta derrota seguida do time de Phil Jackson.

Kings 80 x 113 Lakers

O caidinho Sacramento Kings foi o adversário ideal para o Lakers tirar a barriga da miséria. Jogo fácil, resolvido no primeiro tempo. Mas Fisher e Artest continuam desaparecidos.

Wizzards 108 x 115 Lakers

Kobe Bryant, Lamar Odom e Pau Gasol estavam afiados e o primeiro tempo do Lakers (69 x 55) foi muito bom. O Washington Wizzards não teve muita chance, mas o armador John Wall jogou muito bem (22pts, 14ast) e Nick Youg saiu do banco feito um louco, anotando 30 pontos.

Clippers 86 x 87 Lakers

A cara do Lakers 2010/11: se complicar e ter que fazer das tripas coração para superar o fraco Los Angeles Clippers. Sorte que Fisher deixou de lado suas aparentes férias de meio de temporada para decidir a partida no finzinho. Shannon Brown também se destacou, com decisivos 16 pontos (mais cinco rebotes) vindos do banco. Mas Artest foi novamente uma lástima e Gasol errou muito no ataque. No esforçado, Clippers… Bem, destaque, mesmo, para o esforço. Mas Eric Gordon apareceu bem com 24 pontos, cinco rebotes, quatro assistências e quatro roubadas de bola.

Lakers 84 x 88 Bulls

O Bull já tinha dado trabalho no Staples Center, sendo o primeiro time a segurar o Lakers abaixo dos 100 po0ntos. Em Chicago, não houve jeito: com 29 pontos e nove assistências, o ótimo Derrick Rose comandou um time que só tem a melhorar à medida que Carlos Boozer entrar em forma. No Lakers, além das (a esta altura)  tradicionais ausências de Fisher e Artest, o banco, à exceção de Matt Barnes, foi uma completa desgraça.

Lakers 99 x 92 Nets

E lá ia o Lakers enroscado com o possante New Jersey Nets… Mas Kobe fez um segundo tempo muito bom (25 de seus 32 pontos) e no final arranjou decisivas assistências que garantiram a vitória aos atuais campeões. Lamar Odom foi um eficiente coadjuvante, enquanto Gasol teve muito trabalho com Brook Lopez. Já Artest…

Lakers 103 x 89 Wizzards

Andrew Bynum finalmente voltou ao time, ainda saindo do banco, e o Lakers controlou bem o Wizzards em Washington. Desta vez, até Artest apareceu para jogar e Shannon Brown anotou mais 16 pontos para suas contas. O Wizzards foi só um adversário valente.

Lakers 109 x 94 Pacers

O Pacers havia vencido o Lakers no Staples Center pela primeira vez. Talevz por isso o Lakers tenha entrado em Indianápolis com um comprometimento pouco visto na atual temporada. Jogo decidido logo, com bela atuação de Kobe e Gasol. O Pacers pagou pelo que fez em novembro e a torcida do Lakers ficou com a esperança de que o time ao menos se interessaria sempre que tivesse um desafio pela frente. Ledo engano, como viu-se adiante…

Lakers 93 x 81 Sixers

O Lakers conseguiu a façanha de começar o último período da partida perdendo para Philadelphia Sixers. Mas Lamar Odom (28pts, 8reb) e Matt Barnes (15pts/10reb) fizeram um ótimo quarto final e deram a vitória ao Lakers, numa partida em que Kobe se machucou logo no início e pouco pôde fazer para ajudar.

Lakers 120 x 110 Raptors

Linas Klieza, Amir Johnson, Jose Calderon e DeMar DeRozan, quatro dos titulares do Toronto Raptors, atuaram muito bem, mas o banco do time foi bem fraquinho (nosso Leandrindo acertou apenas 3/12), assim como o ala de força Ed Davis improvisado no lugar do contundido pivô Andrea Bargnani. A segunda unidade do Lakers deu conta do recado (57 x 27 sobre o banco adversário) e os titulares puderam ter uma noite bem cômoda.

Bucks 98 x 79 Lakers

O Lakers voltou de uma, afinal, vitoriosa série de jogos na estrada para ser surrado pelo Milwaukee Bucks no Staples Center. Nada a destacar em Los Angeles. Curiosamente, os números de Kobe, Odom e Gasol foram bem aceitáveis e o bando fez seus honestos pontinhos, mas o grupo simplesmente não funcionou (nem anda funcionando) como um time. O pequennino Earl Boykins saiu do banco para infernizar a defesa do Lakers e foi o destaque de sua equipe.

Heat 96 x 80 Lakers

Esperava-se que no desafio de Natal contra o badalado Miami Heat de LeBron James, Dwayne Wade e Chris Bosh e após a desconcertante derrota contra o Bucks o bicampeão Lakers fosse dar as caras. Que nada… Quem apareceu, mais um vez, foi o até aqui apático time que veste roxo e amarelo nesta temporada. O Heat controlou o jogo desde o início, com suas estrelas Wade (18pts, 6ast, 5reb), James (27pts, 10ast, 11reb) e Bosh (24pts, 13reb) dominando a quadra.

Lakers 82 x 97 Spurs

O Lakers até venceu o primeiro tempo contra o Spurs, melhor time da temporada, em San Antonio : 44 x 42. Mas a situação anda tão feia em Los Angeles que, mesmo com Tim Duncan e Manu Ginobili acertando apenas quatro arremessos de 19 tentados, somando surreais 11 pontos em toda a partida, o Lakers foi facilmente dominado nos dois últimos períodos. Destaque para o ala DeJuan Blair,que, na “ausência! de Duncan, garantiu 17 pontos e 15 rebotes para sua equipe.

Lakers 103 x 88 Hornets

O New Orleans Hornets tinha a terceira melhor defesa da NBA e uma das melhores campanhas com mando de quadra. logo, tudo armado para que o Lakers faturasse mais uma quadra negativa de derrotas. Mas tanto o Hornets começou muito mal, como o Lakers entrou muito bem. Assim, o jogo acabou decidido cedo, cedo. Bynum saiu jogando pela primeira vez e anotou 18 pontos e seis rebotes, ficando trinta minutos em quadra. Saindo do Banco, Odom foi muito bem, com 24 pontos e cinco rebotes. Enfim, boas notícias para o Lakers. O Hornets esteve numa noite infeliz e nem Chris Paul se destacou.

Sixers 98 x 102 Lakers

Fechando o ano, o Lakers fez uma partida para lá de acomodada contra o Philadelphia Sixers. MAs Kobe garantiu tudo com seus 33 pontos e um par de jogadas decisivas no fim. Bynum pegou 15 rebotes, Odom fez 18 pontos e Gasol, 20. Fisher errou quase tudo que tentou, mas Artest surpreendeu, aparecendo bem e marcando importantes 11 pontos, além de fazer quatro assistências. O jovem armador Jrue Holiday fez ótimos 19 pontos e 11 assistências pelo Sixers, que teve três de seus suplentes (Evan Turner, Thaddeus Young e Lou Williams) somando 44 pontos.

*** *** ***

É isso aí. O resto do que gostaria de registrar sobre a NBA fica para o campo das boas intenções.

E não, não vou comentar agora sobre a acachapante derrota do Lakers para o Memphis Grizzlies na noite passada, no Staples Center.

Isso fica para quando fevereiro chegar.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 3 de janeiro de 2011 em Basquete, NBA

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: