Início > Fluminense, Futebol > FLUMINENSE ► Um torcedor entre a cruz e a caldeirinha

FLUMINENSE ► Um torcedor entre a cruz e a caldeirinha

Assistindo à derrota do Fluminense para o Vasco, que contou com a inestimável atuação do árbitro Antônio Frederico de Carvalho Schneider, me vi como diz a velha expressão “entre a cruz e a caldeirinha”.

Por um lado, torcia irada e despudoradamente para que os jogadores do Fluminense descessem o braço em Sua Senhoria e assim fizessem justiça com as próprias mãos – que era a vontade de todo tricolor presente na arquibancada do Engenhão ou à frente da televisão. Torcedor é passional mesmo, por isso deve ser mantido afastado das quatro linhas.

Por outro, estava completamente tenso com a possibilidade dos jogadores perderem a linha de vez, agredirem o juiz e aí, além de expulsos, ainda pegarem um gancho daqueles.

Isso porque na famigerada federação carioca a mensagem para a comissão de arbitragem parece ser mais ou menos assim: “Errem que a gente garante!”

Quanta diferença para o futebol de países mais sérios. Como o futebol inglês.

Na Inglaterra, muito provavelmente as expulsões de Fred e Edinho seriam revogadas, podendo até entrar em pauta a possibilidade de anulação da partida.

Isso acontece lá porque há uma premissa… Premissa não é palavra mais adequada. Isso acontece porque lá há um desejo de tornar o jogo o mais idôneo possível.

Um caso exemplar: em 1999, já no final de um jogo pela Copa da Inglaterra, um jogador do Sheffield colocou a bola para fora para que um colega do Arsenal fosse atendido. Surpreendentemente, os jogadores do Arsenal cobraram rapidamente o lateral e chegaram ao gol da vitória. Envergonhado, até o técnico do Arsenal pediu a anulação da partida.

Lá não é como aqui, que há essa pantomima patética dos julgamentos do STJD. Então, logo na segunda-feira seguinte, a federação inglesa decidiu por uma nova disputa, realizada dez dias depois. Simples assim.

Isso é fácil aplicar quando você trabalha sob a premissa da idoneidade, da honestidade, em todos os setores da atividade esportiva.

O que está longe de acontecer no futebol do Brasil.

*** *** ***

Licença Creative Commons
Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição – NãoComercial 3.0 Não Adaptada.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: