RSS

COPA DO MUNDO 2014 ► E o Oscar vai para… Oscar!

16 jun

JOGO 1: Brasil 3 x 1 Croácia

fifa_2014Bem, eu poderia cair no tentador oportunismo de dizer que “o Oscar de Melhor Ator vai para Fred”, pelo simulacro de pênalti que arrumou para o Brasil e decidiu a partida. Mas isso seria uma injustiça com a grande atuação de Oscar, o homem que desequilibrou em campo, com participação direta nos três gols brasileiros. O garoto do Chelsea foi onipresente, colaborando muito na marcação, driblando com objetividade e verticalizando sempre que podia o time canarinho. Foi premiado com um belo gol ao apagar das luzes, gol que definiu um placar ilusório. Por isso prefiro o mais do que óbvio clichê do título do post.

Claro, figuras fundamentais também o foram Neymar (pelos gols, atuação errada) e o péssimo juiz, que, além de não expulsar Neymar na primeira etapa por agressão ao adversário, ainda marcou um pênalti que eu não marcaria, aquele já mencionado lance com Fred.

O jogo? Foi bom… mas não foi.

Bom porque o Brasil venceu com um bom placar, mas a atuação deixou a desejar.

O Brasil não esteve bem, sofreu um gol acidental no início do jogo, viveu seu melhor momento no terço final da primeira etapa, quando pressionou, empatou e quase virou. Fez um segundo tempo fraquinho, quando abriu espaços entre suas linhas e teve muita dificuldade para tirar a bola do adversário. Exemplo do que ocorreu nessa fase: em vários momentos os homens de frente apertavam a marcação na saída de bola, mas havia um grande buraco entre eles e o resto do time, o que permitia aos croatas avançar com liberdade no meio do campo.

A Croácia esteve sempre bem colocada, mas foi pouco ambiciosa, não teve punch, não ousou para vencer, se contentando em esperar erros brasileiros para marcar.

O resultado mais justo talvez fosse o empate, pois o Brasil não foi superior a ponto de justificar uma vitória inquestionável, ainda mais por dois gols de diferença. Nem se pode esquecer que a Croácia foi sim prejudicada pelo árbitro em dois lances capitais: Neymar esperou o adversário e o agrediu na cara, lance claro de expulsão, mas que rendeu apenas um amarelo; e o pênalti. Fred é até tocado e algo chargeado, mas nada que caracterizasse infração, do meu ponto de vista.

O maior problema do Brasil foi o mesmo do amistoso contra a Sérvia: Neymar. Como TODAS as bolas precisam passar por Neymar, o time precisa que ele jogue bem – ou ao menos certo. Mas Neymar prendeu demais a bola, relutou muito na hora do passe e invariavelmente o errou. Veja que não estou criticando o jogador por errar, por jogar mal, mas por jogar ERRADO. E Neymar jogou errado essas duas últimas partidas. Ele precisa usar a habilidade como diferencial. Não é para pegar todas as bolas, parar, rebolar, tentar passar por 35 e só então, na absoluta impossibilidade de finalizar, com muita dor no coração, passar para um companheiro melhor colocado para tentar o gol. E normalmente esse passe tem saído errado ou encontrado o companheiro já bem marcado.

Salve-se sua capacidade de finalização e, principalmente, a estrela, porque estrear numa Copa do Mundo com uma atuação não mais que mediana (além de errada) e marcar dois gols, ainda que em bolas mal chutadas e contando com a inestimável colaboração do goleiro adversário, é para poucos.

Júlio Cesar foi bem quando exigido, Daniel Alves nunca me convenceu, Thiago e David tiveram algum trabalho, mas se seguraram, David um pouco melhor. Marcelo fez um gol contra absolutamente infeliz, mas foi sóbrio em campo. Luís Gustavo foi o outro destaque do time. Discreto, eficiente, rápido nas coberturas, duro quando preciso e hábil para sair jogando. Paulinho pareceu fora de ritmo, Hulk entrou a meia-boca e valeu mais pela luta. Fred praticamente não foi acionado e Neymar fez os gols.

Na Croácia, destaque negativo para o goleiro, que falhou nos três gols, inclusive no pênalti, quando não conseguiu defender uma bola fracamente chutada em cima dele.

O bom: Oscar.

O mau: goleiro croata Pletikosa. Atrapalhou o time.

Decidiu: o fato do time brasileiro não ter se desesperado com a desvantagem foi decisivo.

Fator X: vossa excelência, o senhor Nishimura Yuichi, do Japão.

Animais (com perdão aos animais pelo uso conotativo da palavra): os que xingaram a representante maior da nação, eleita democraticamente pelo povo. Coisa de uma elite branca preconceituosa e mal educada que sustentou a ditadura por tantos anos e que odeia termos como democracia, povo, igualdade social…

O registro: achei o estádio de abertura o mais feinho dentre todos que recebem jogos da Copa do Mundo. Mal comparando, lembra um Sarriá da vida.

brasil_2014_1


SÚMULA OFICIAL

2014_jogo_1_1

2014_jogo_1_2

*** *** ***

Licença Creative Commons
Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição – NãoComercial 3.0 Não Adaptada.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 16 de junho de 2014 em Copa do Mundo 2014, Futebol

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: