RSS

POLÍTICA ► PSB: a segunda morte de Eduardo Campos

16 out

interrogacaoO falecido candidato à Presidência da República Eduardo Campos não merecia isso.

O político mais expoentes da nova geração, um sopro de esperança renovadora na nebulosa arena política nacional, teve seu espólio lesado pelo que fizeram do partido que tão competentemente ajudou a erguer, o outrora socialista PSB.

“Outrora” porque a decisão de apoiar Aécio Neves foi um achincalhe não só à história do partido como à memória de Eduardo Campos, pois o PSB era seu legado.

O partido abriu. E não poderia ser diferente, pois tal apoio a uma candidatura de partidos aos quais o PSB sempre fez oposição não tem a menor lógica histórica.

Não que o PSB “devesse” apoiar Dilma. Não “devia” nada. A questão vai muito além de apoiar as figuras individuais de Aécio ou Dilma.

A questão é de princípio ideológico. 

O que será então do agora justificadamente rachadíssimo PSB?

O tempo vai dizer.

Talvez surja uma dissidência, um PSB do B, quem sabe?

Mas para o desrespeito à história de Eduardo Campos não há mais jeito: essa história foi vilipendiada pela criatura que ajudou a criar.

É minha opinião.

*** *** ***

Licença Creative Commons
Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição – NãoComercial 3.0 Não Adaptada.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 16 de outubro de 2014 em Brasil, Política

 

Tags: , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: