RSS

VIDA ► 50 anos em 10 crônicas – 9: “Por Mares Nunca D’antes Navegados”

24 jul

50 anosEste conto aqui é diferente. É fruto de uma confraria de ideias – que alguns chamariam de estapafúrdias – para cumprir um determinado objetivo. Uma mútua colaboração com amigos como Saulo, Patrick, Gustavo, cuja redação final coube a mim, lá por meados dos anos 1990.

Não vejo como apresentá-lo de outra forma. Ainda hoje me pego lendo com gosto. Apenas digo que é uma história passada em um tempo qualquer, livremente baseada em fatos… Bem, só lendo mesmo.

 

***

 

Por Mares Nunca D’antes Navegados

 

batalha_navalDamaceno era um jovem de 15 anos. Moreno, baixinho e parrudo, tinha uma saúde invejável. Trabalhava para o tio na fazenda São José, no interior do Estado do Piauí, mais precisamente numa pequena cidade chamada Amarante, que fica à margem do rio Parnaíba, fronteira com o Maranhão.

Até então, o jovem nordestino apenas através de fotos e da televisão conhecera sua maior paixão: o mar. Seu sonho? Ser marinheiro, como em suas brincadeiras de “Simbad, o marujo” dos tempos de criança. Na parte rasa do velho Parnaíba, enfrentava monstros e piratas com sua espada de gravetos e canhões que disparavam mamonas. Era o mais temido deles!

Assim crescera Damaceno, vendo sua adolescência passar e sua fantasia tornar-se cada vez mais difícil de realizar, preso que estava naquela cidade amaldiçoada pela distância – inatingível para ele – de um mar, “um marzinho só, unzinho!”, como costumava lamentar. Até que…

Junho de 1990. Depois do fatídico gol de Canighia que eliminou a seleção canarinho da Copa do Mundo, começa um conflito generalizado entre brasileiros e argentinos. Era o início da Guerra dos 10 Anos pela honra futebolística entre as duas potências sul-americanas. E lá se foi o apaixonado Damaceno atrás da grande chance de sua vida: alistou-se na Marinha e foi defender o país da ameaça platina na Baía de Todos os Santos.

Devido à urgência de tempo, a Marinha dispensou seus novos recrutas de treinamento e quando Damaceno se deu conta, estava frente a frente com a frota inimiga de Diego Armando Maradona, “o Terrível”, capitão da esquadra argentina, sucessor do temível pirata dos mares Daniel Passarella.

Mas, de todo modo, lá estava ele, feliz da vida, espada de verdade em punho, coração batendo forte ao ritmo das balas de aço disparadas pelas destemidas armadas. O azul do mar, a brisa, o sol… “Ah! É tudo o que sempre quis!”, regozijava-se Damaceno.

E após dois anos de incessantes combates, Damaceno finalmente recebeu sua primeira missão especial, designada pelo próprio capitão da “equipe” brasileira, o legendário lobo do mar Mário Jorge Zagallo: abordar com um seleto grupo a nau principal da frota inimiga, em decisivo ataque de sabotagem.

Movido pela paixão, impulsionado pela coragem, nosso herói penetrou sorrateiro na nave inimiga, deixando seus atentos colegas de missão no pequeno bote com o qual enfrentavam o mar bravio e revolto. Damaceno rapidamente concluiu sua tarefa, deixando aramado potentíssimo explosivo próximo à casa de máquinas, quando foi descoberto!

Movido pelo desespero, impulsionado pelo pavor, Damaceno correu rapidamente para a companhia de seus colegas. Não podia perder tempo, pois o artefato não tardaria a explodir. Cercado pelos inimigos no convés, num ponto ainda distante de sua embarcação salvadora, só lhe restava uma alternativa: mergulhar ali mesmo e alcançar o bote antes que os argentinos o alcançassem. E assim Damaceno fez.

E Damaceno não sabia nadar…

PS. A missão foi um sucesso. O Brasil venceu a lendária batalha e Damaceno foi enterrado com todas as honras de herói, ao som da música de Caimmy: “…É doce morrer no mar…”

(David Telio Duarte & outros)

*** *** ***

Licença Creative Commons
Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição – NãoComercial 3.0 Não Adaptada.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de julho de 2015 em 50 anos, Vida

 

Tags: , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: