Arquivo

Posts Tagged ‘França’

COPA DO MUNDO 2018 ► Minha seleção da Rússia

30 de julho de 2018 Deixe um comentário

Em uma desses portais da vida, dentre as opções oferecidas, montei minha seleção da Copa do Mundo 2018. Afinal, era só ir clicando e escolhendo dentre as opções oferecidas.

Daí resolvi trazer para cá e deixar registrada minhas escolhas. Como o fiz em 2010 (clique aqui para ler) e não o fiz em 2014.

Uma coisa que notei em diversas mídias foi que houve um certo consenso na escolha dos melhores deste ano, com poucas discrepâncias.

Em geral, os mesmos nomes disputavam a preferência de profissionais e torcedores para cada posição.

Segue a lista com minhas preferências: Leia mais…

Anúncios

RIO 2016 ► Renaud Lavillenie e a triste arte de reforçar um estereótipo negativo

8 de setembro de 2016 1 comentário

rio_2016Renaud Lavillenie, o francês chorão, medalha de prata no salto com vara na Rio 2016, viola o princípio que eu considero básico do esporte de competição: o da superação.

É de uma geração de atletas mimados que hoje existem em diversos esportes. Inclusive no atletismo.

Atletas padrão Fifa, uma entidade que considera que esporte deve ser disputado em uma atmosfera teatral, com os competidores assumindo ares de diva.

Uma grande estupidez.

Porque o que todo mundo gosta de ver em um grande campeão é capacidade de superação. Superação de tempo, ambiente, condições de pista, campo, adversários, torcida, arbitragem…

E Lavillenie está longe de ser capaz disso.

Porque é um fraco.

Quem é o francês na foto?

Quem é o francês na foto?

Continue lendo…

VIDA ► 50 Anos em 10 jogos de Copa do Mundo

20 de fevereiro de 2015 Deixe um comentário

50dNão, não são os melhores, não há essa pretensão. Nem são as decisões, mesmo podendo ser. Nem são apenas 10 – como disse em post anterior, a vantagem de fazer a própria lista no próprio blog é determinar as próprias regras. Logo, esta lista de 10, na verdade, contém 11 jogos que, por um motivo ou outro, muito me marcaram nas Copas do Mundo que acompanhei, não sendo necessariamente “os” que mais me marcaram, mas os que recordei agora. Não valem, por exemplo, as muitas partidas de copas anteriores a 1970, partidas que vi em tape, mas de Copas realizadas antes de eu nascer. E diga-se de passagem, é uma lista de 11 que poderia ser de 15, 20, 23, 30… Continuar lendo…

FUTEBOL ► Se um elefante incomoda muita gente, no futebol brasileiro algumas verdades incomodam muito mais

Me chamou a atenção nesta semana uma declaração de Vampeta em entrevista no programa “Kajuru Pergunta”, do jornalista esportivo Jorge Kajuru. O programa é hospedado no portal UOL e o endereço dessa matéria é este link aqui.

A declaração é essa aí abaixo:

Muito interessante. De minha parte – e “ronaldices” à parte também -, sempre achei que, a princípio, vencera a final da Copa do Mundo de 1998 o melhor time. Simples assim. Eu vi o campeonato inteiro. Todos os jogos.

Mas no Brasil tudo serve como desculpa para derrotas. Jamais o adversário é valorizado. E teorias da conspiração proliferam nessas horas. Continuar lendo…

MUNDO ► O desastre de Chernobyl, 20 anos depois

2 de abril de 2011 2 comentários

Outro dia estava assistindo ao excelente documentário (mais um) do Discovery Channel “O Desastre de Chernobyl”, realizado 20 anos após aquela tragédia, em 2006. Uma reprise, não era inédito, mas ainda não tinha tido a oportunidade de ver.

Repleto de imagens impressionantes, até então inéditas, o programa se utiliza de depoimentos de quem viveu aqueles decisivos dias da humanidade (por que não?) para reviver os momentos que antecederam à explosão nuclear da usina e tudo o que foi feito – ou tentado – para minimizar as consequências da tragédia.

Ao se assistir a uma produção dessas, “impressionante” é um adjetivo que se torna redundante, mas do qual é difícil escapar ao falar sobre tudo o que ocorreu. E impressionante foram a coragem e a dedicação das centenas de milhares de soviéticos de diversas origens e formações que se dedicaram a impedir, ao custo da própria vida e saúde, uma tragédia ainda maior, que praticamente devastaria a vida humana na Europa.

Sem condições minimamente ideais e muitas vezes à base de puro improviso, essas pessoas jamais reconhecidas e de comovente resignação evitaram uma verdadeira catástrofe. Leia mais…